Redução da desigualdade de renda estagnou no Brasil

mockup_relatorio_2018 (1)

Entrevista de Rafael Georges, coordenador de campanhas da Oxfam Brasil, ao IHU/Unisinos

A reforma tributária foi um dos temas da entrevista concedida ao Instituto Humanitas (IHU), da Universidade Federal do Vale dos Sinos/Unisinos, ressaltando a necessidade de que a reforma seja direcionada a uma tributação mais justa e igualitária, não somente a uma simplificação, que em nada contribuirá para aliviar quem mais paga tributos proporcionalmente, que é quem menos pode. Confira o que falou o coordenador sobre o assunto:

“Na discussão tributária existe bastante sintonia – não vou dizer concordância – entre as diferentes correntes de especialistas acerca do que seria uma reforma desejada. Essa é a nossa percepção na Oxfam. Há uma necessidade dos governos – estaduais e federal – de observar que existem princípios de reforma tributária que podem ser adotados e que são acordados. O que se pode dizer em relação ao que tem sido debatido é que alíquotas únicas são injustas e não deveriam ser propostas, porque essa proposta não está de acordo com a Constituição. Reduzir o papel da tributação sobre renda e patrimônio no total da carga tributária também seria um passo para trás, assim como estabelecer uma alíquota única seria um grande passo para trás. Então, o ideal seria redistribuir a carga tributáriade forma que a renda e o patrimônio cresçam em termos de participação da carga tributária, e bens e consumo diminuam. Essa é a sintonia entre quem discute o tema. Se o governo vai adotar essas medidas ou não, só o tempo dirá.”

Disse ele também:

“Em uma tacada, em uma mudança legislativa que implique numa boa reforma tributária, seria possível ganhar cinco anos em termos de redução das desigualdades.”

A íntegra da entrevista pode ser vista em:

http://www.ihu.unisinos.br/584952-reducao-da-desigualdade-de-renda-esta-estagnada-no-brasil-entrevista-especial-com-rafael-georges

 

http://ijf.org.br/?p=3359