Governo estuda taxar herança

O governo analisa aumentar a TRIBUTAÇÃO sobre herança, admitiu ontem o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, em audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicas (CAE) do Senado Federal. Segundo ele, esse tipo de imposto é comum em vários países e menos complicado do que taxar grandes fortunas. "tributos sobre grandes fortunas poderiam gerar movimentos especulativos", afirmou Barbosa. A medida, analisada pelo Ministério da Fazenda, seria uma forma de atender às pressões dos parlamentares petistas, que têm defendido uma TRIBUTAÇÃO maior sobre as grandes fortunas, como forma de minimizar a necessidade de mexer com benefícios trabalhistas e previdênciários. Uma das primeiras medidas anunciadas pela equipe econômica neste mandato da presidente Dilma Rousseff foi o endurecimento de regras para a concessão de seguro-desemprego, auxílio-doença, abono salarial e pensão por morte.

Concessões

Na CAE, Barbosa afirmou também que o governo planeja abrir novas rodadas de concessões em infraestrutura no segundo semestre. Segundo informou, os estudos de novos projetos estão sendo realizados e farão parte de um cronograma para os próximos anos. "Está prevista uma nova rodada com outras rodovias no segundo semestre", disse.Em relação ao trem-bala, que foi bastante criticado pelo senador José Serra (PSDB-SP), Barbosa afirmou que o projeto não está na lista de prioridades do novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 3). Segundo ele, esta etapa será setorizada, como PAC Aeroportos, PAC Portos, PAC Hidrovias e assim por diante. Para reiniciar as concessões de ferrovias, Barbosa disse que aguarda a entrega de projetos feitos por empresas privadas até maio. Ele informou que o governo trabalha com a possibilidade de fazer investimento nas concessões já existentes. "Estamos em contatos com os concessionários para isso", disse. (RH)

http://ijf.org.br/?p=223

>>>>>>> f0be47026d97b87ee764a392299fcfa9c77a5784