Mordaça? Deputados sugerem que governo processe entidade por contestar dados da Previdência

déficit da previdência 3

De acordo com a revista Época, os deputados Carlos Marun (PMDB-MS) e Júlio Lopes (PP-RJ) teriam pedido ao governo que acione na Justiça a Anfip, alegando que as informações divulgadas pela associação dificultam a tramitação da PEC 287 na Câmara

Segundo a coluna Expresso, da revista Época, os parlamentares que fazem parte da Comissão Especial que discute a “reforma” da Previdência estariam irritados com a Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Anfip), uma das entidades mais atuantes na denúncia dos efeitos perversos da PEC 287. As informações divulgadas pela entidade, que contesta odéficit previdenciário alegado pelo governo, dificultariam a tramitação do projeto na Câmara.

A nota afirma que os deputados Carlos Marun (PMDB-MS), presidente da Comissão Especial, e Júlio Lopes (PP-RJ) querem que a Advocacia-Geral da União ingresse com uma ação na Justiça para que a Anfip pare de divulgar tais informações, que eles qualificam de “contrainformação”. Ainda segundo a revista, Michel Temer ouviu a reclamação e teria ficado de “pensar no assunto”.

As reações nas redes sociais contra a possibilidade de censura já começaram. A página do Facebook Pela Verdade na Previdência divulgou a nota publicada por Época, lembrando que diversas entidades defendem os estudos realizados pela Anfip. “Um dia após a Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (ANFIP) e o Dieese lançarem duas publicações importantes sobre a Previdência Pública no Brasil, parlamentares ligados ao governo expõe seu desconforto e tentam barrar a verdade de forma arbitrária”, diz o texto. “As cartilhas,‘Previdência: reformar para excluir?‘ e ‘PEC 287: A minimização da Previdência Pública‘, mostram a verdade por trás dos números da seguridade social e desmascaram o mito do déficit sustentado pelo governo para avançar com sua agenda de desmonte da Previdência.”

Além das publicações, um vídeo produzido pela entidades se tornou viral no final do ano passado, tento ultrapassado, no final de janeiro, mais de 1,5 milhão de visualizações no Facebook. Confira abaixo:

http://ijf.org.br/?p=2216